quarta-feira, 2 de maio de 2007

Para que serve a FILOSOFIA

"Você conhece algum filósofo? Ou entende por que uma pessoa escolhe por livre e espontânea vontade ser filósofo? Você sabe qual é o trabalho desse profissional? Onde trabalha? Ou simplesmente a que se propõe?
Para quem não tem a menor idéia dessas respostas e lembra vagamente do filósofo como aquele ser mitológico amante do conhecimento, é bom tomar cuidado. Filósofos modernos existem sim, mas eles andam se escondendo (talvez no fundo de uma caverna de Platão) dentro das universidades, atrás métodos, teorias, histórias e outros assuntos afins. Raramente eles dão as caras para analisar o mundo real, a fonte e a inspiração de seu conhecimento. "Ocorreu uma profissionalização de filosofia para além daquilo que seria necessário, uma especificação muito grande, com uma perda do todo, do real", explica o professor Paulo Ghiraldelli, livre-docente em filosofia pela Unesp (Universidade Estadual Paulista).
Mesmo que você não perceba, está a todo momento pisando em filosofia, seja nos filmes a que assiste, nos livros e jornais que lê e até na televisão. As análises diretas e indiretas de tudo são na verdade um exercício de filosofia, nas quais o conhecimento filosófico ajuda muito. "Não é à toa que a sociedade está buscando esse conhecimento fora da universidade, em cursos livres, debates e livros", acrescenta Ghiraldelli.

PENSAMENTO LIVRE

A filosofia é como uma ferramenta para o pensamento de base. " O filósofo é um livre-pensador que se desapega de seus preconceitos para compreender a realidade na sua diversidade e multiplicidade", explica Ricardo Monteagudo, coordenador no curso de filosofia da Unesp.
Se ainda assim é difícil entender para que serve essa tal filosofia, vale lembrar o quanto da nossa realidade nasceu de estudos filosóficos, por meio de questionamentos de ontologia (da ordem do que existe e porque existe), de lógica (para a organização do discurso, da matemática, do pensamento), sobre o conhecimento (o processo cognitivo e de aprendizado) e sobre a estática (não só do que apreendemos como belo e por que o fazemos, mas também aquilo que
entendemos como arte). A filosofia está à nossa volta.

GRANDES QUESTÕES PARA A FILOSOFIA DO SÉCULO 21

LINGUAGEM: Uma das grandes discussões da filosofia na atualidade é exatamente como conceituar o raciocínio. Do que se compõe a razão? O raciocínio? O pensamento? São perguntas que ficaram cada vez mais difíceis com o avanço da ciência. Nos últimos anos o debate em torno dessas questões trouxe à tona o papel da linguagem para caracterizar o raciocínio. "Nada mais de 'estudo da razão'. Toda discussão da teoria do conhecimento deve ser refeita baseada na linguagem e na comunicação", explica o professor Paulo Ghiraldelli.

ARTE: Parece uma questão irrelevante para a vida prática, mas diz muito a respeito da vida em sociedade. Desde a Antiguidade o mundo se questiona sobre o que, de fato, deve ser considerado arte. A discussão se acirrou com o surgimento, em diferentes momentos, do jornalismo, da fotografia, do cinema, da teledramaturgia, do design e outros. Ao que tudo indica essa confusão ainda deve crescer com novas e cada vez mais freqüentes fusões entre ciência, tecnologia e arte. E você? Sabe dizer o que é arte?

ÉTICA: Afora os problemas éticos que a ciência já está enfrentando na definição do que é a vida, quais os direitos dos animais e como evitar a quebra de privacidade que acompanha a tecnologia, um outro problema a ser pensado pela filosofia é o que é ser justo num mundo multicultural. Sendo a principal pergunta: como agradar ao senso de justiça dos dois? "A questão ética é como criar um código, para além do código liberal, que dê conta dessas nossas divergências sob um mesmo senso de justiça", explica Ghiraldelli."

Texto publicado na revista Galileu, em Agosto de 2005
Colaborou: MARIANE GUSAN

4 comentários:

Natalia Guaratto disse...

Para que serve a FILOSOFIA?

Concordo com a parte que diz: "muito da nossa realidade nasceu de estudos filosóficos", como nós vimos em uma das últimas aulas do professor Dimas, foi a partir da filosofia que nasceu a teoria atômica. E tudo começou porque os filósofos pré-socráticos queriam descobrir do que as as coisas eram feitas. O que eu quero dizer é que a filosofia nos deu uma enorme contribuição no passado (conhecimento que continuamos a utilizar), no entanto, o texto deixa uma pergunta sem resposta: Qual o verdadeiro papel da filosofia nos dias atuais?
Não estou dizendo que a filosofia "já fez o que tinha que fazer e pode ir embora", afinal a busca por conhecimento é incessante, mas assim como em qualquer outra área a filosofia necessita de modernização.
Se no passado os filósofos contribuíram tanto para as descobertas humanas, qual o motivo de não haver, hoje em dia, trabalhos filosóficos acessíveis à sociedade?
Acredito que a importância da filosofia nem é reconhecida na nossa sociedade muito iluminista e pouco iluminada, mas nem é a minha intenção tentar enteder esse fato.
Talvez faça mais sentido pensar na filosofia como alternativa na busca de soluções para os problemas contemporâneos, já que é fato comprovado que o mundo está precisando....urgente!

Grande texto, Fê!
E vamos postar mais né galerinha do blog!!

Fernanda Abrão disse...

Naty, o texto não é meu, hehehe, é um texto que eu achei nas páginas da revista Galileu, por acaso de 2005.
A parte que eu mais gostei dele é quando fala das questoes da filosofia para o século 21, sobre a Ética.
"Afora os problemas éticos que a ciência já está enfrentando na definição do que é vida. (...)". Isso comprova o quanto é atual, porque hoje vivemos uma era que o ABORTO, por exemplo, é um assunto que conta muito com essa definição.

Outra parte ínteressante é a a pergunt de como agradar o senso de justiça de culturas tão diferentes, e isso é verdade!

Agora mesmo me veio um exemplo na cabeça, sobre o ator Richard Gere, que em um programa abraçou e beijou a atriz indiana Shilpa Shetty. Esse ato, que por um lado representa um crime, um forte atentado ao pudor na Índia, por outra, nos EUA pode causar no máximo uma impressão de grande afeto entre os dois. De certa forma, o tribunal indiano está certo, já que aquela é a lei deles, e essa lei deve ser respeitada até mesmo por estrangeiros, bastava Gere ter um pouco mais de discrição. Mas, temos que admitir que essa atitude é normal para nós, ocidentais, e é difícil imaginar a partir dela, surgiria a possibilidade de ser preso por até 3 meses.

Se não é impossível, é muito difícil conciliar essas culturas...

Beijos, comentem ;)

Fê!

Daniella Cornachione disse...

Grande texto! Trata-se de uma apresentação, uma forma de nos situarmos dentro desse estudo, parabéns pela escolha Fê! Eu destacaria a frase do professor, na qual ele diz que " O filósofo é um livre-pensador que se desapega de seus preconceitos para compreender a realidade na sua diversidade e multiplicidade". Realmente, ao estudar filosofia é muito importante que tenhamos essa dterminação em nos desprender de preconceitos e etnocentrismos (como diria o professor Edmilsom hahaha). O papel social do filósofo é importante demais para não ser reconhecido devidamente, por isso vamos nos aventurar por esses conhecimentos, quiçá conseguiremos entender um pouquinho melhor como funcionam as sociedades e o pensamento humano! Mas quanta pretensão a minha, tudo bem vai, a gente tenta haha! Beijos e vamos postar ein gente!

DIMAS A. KUNSCH disse...

Oi, amigos do Focofilo!
Em passagem amorosa por aqui, associo-me às preocupações de vocês sobre valor e importância da Filosofia para lhes deixar um grande abraço. Senti falta dos nomes (perfis) das feras que cuidam do Focofilo. Vão providenciar? Até.
Dimas A. Kunsch